Milan descumpre regra e fica fora da UEFA Europa League

O A.C. Milan não poderá competir a UEFA Europa League na próxima temporada. Hoje, 28/06, a Corte Arbitral do Esporte – CAS emitiu nota anunciando que o time italiano foi excluído da próxima edição do campeonato. A decisão aconteceu devido a uma violação de fair play financeiro. 

O posicionamento do CAS está acima do mérito conquistado pelo elenco do time, afinal, conseguiram obter o acesso ao campeonato graças à boa colocação no Campeonato Italiano. O Milan terminou em quinto lugar e, na fase de grupos do torneio, conseguiram alcançar a vaga.

Imagem: Isabella Bonotto/AFP

Entenda o fair play financeiro 

A iniciativa do fair play financeiro foi tomada pela própria UEFA em 2010. Entretanto, só passou a entrar em vigência no ano de 2011. Desde então, os times que conseguem se classificar para participar de torneios da UEFA precisam provar que cumprem os requisitos estabelecidos pela medida. 

Basicamente, o fair play financeiro analisa os gastos dos clubes e se estão sendo prudentes com as suas finanças. O principal foco é garantir que as instituições não gastem mais do que recebem e tenham equilíbrio. Para a UEFA, é importante que a saúde financeira dos clubes esteja em dia, pois isso reflete em todo cenário financeiro global do futebol europeu.

Para analisar se os clubes estão dentro do requisito, o Comitê de Controle Financeiro de Clubes da UEFA – CFCB avalia, em diferentes épocas, as contas dos clubes que participarão de torneios da UEFA. A análise da gestão financeira é feita nos últimos três anos anteriores ao evento que o participante fará parte.

ANÚNCIO

Nessa análise, os clubes devem evidenciar que não possuem dívidas acumuladas e estão aptos a compor a grade de clubes nos campeonatos da UEFA.

Entretanto, as sanções impostas para aqueles que não cumprem os requisitos podem variar de acordo com o tipo de negligência que foi cometido. A CFCB admite ainda um limite de gastos excedentes. Ou seja, as contas não do Milan não precisavam estar perfeitas, porém, equilibradas.

Essas sanções podem variar entre: 

  • Advertência
  • Repreensão
  • Multa
  • Decremento de pontos
  • Retenção de receita para competições da UEFA
  • Pedidos negados para inscrição de novos jogadores nas competições
  • Número restrito de jogadores inscritos
  • Desqualificação ou exclusão em competições
  • Perda prêmios ou títulos

A situação do Milan

Em 2017, os dirigentes do Milan fizeram investimentos superiores a 200 milhões de euros para compor o elenco para a temporada da época. O gasto excessivo aconteceu pois o time estava certo de que alcançaria uma vaga na Liga dos Campeões. Porém, a vaga para o campeonato não foi conquistada. Consequentemente, não houve entrada de novos recursos. 

Os milhões foram somados a outras dívidas o que só complicou mais a situação de fair play financeiro do time. Por isso, já há 1 ano, o Milan recorreu à CAS para evitar que a equipe fosse excluída da Liga Europa na temporada passada.

Porém, para a próxima temporada, o Milan não teve muito argumento. Na averiguação do financeiro do time, a CFCB aponta negligências no setor de finanças e descumprimento da regra nas três temporadas passadas. Em nota emitida pelo CAS, a entidade define:

“O Milan está excluído da participação nas competições do clube da Uefa da temporada esportiva de 2019/2020 como consequência do descumprimento de suas obrigações quanto ao fair play financeiro durante as temporadas de 2015/2016, 2016/2017 e 2017/2018”

A vaga para a competição será preenchida pela equipe do Roma, que ficou uma posição atrás do Milan na tabela do Campeonato Italiano.

ANÚNCIO