Brasil vence o Paraguai e segue na Copa América

Ontem, 27/06, a seleção brasileira inaugurou as quartas de final num jogo tenso na Arena do Grêmio. Não sendo suficiente o tempo regular de jogo somado, a decisão precisou ir aos pênaltis, após um empate sem gols.

No time de Tite, não houve muito destaque durante o jogo, faltou criatividade e brilho nas jogadas. A atitude dos brasileiros em campo no último jogo foi bem diferente da que apresentaram na classificação na fase de grupos, contra o Peru. Na ocasião, até goleada aconteceu: 5 a 0 para a seleção canarinha.

Brasil
Foto: NATACHA PISARENKO AP

1º tempo complicado

Dentro das quatro linhas, o time de Tite precisou enfrentar uma equipe paraguaia totalmente trancada. Três zagueiros na ponta de origem e mais cinco no meio prontos para anular qualquer tentativa que os brasileiros fizessem em furar a defesa. 

Além disso, a seleção do Paraguai demonstrou muita energia com marcação cerrada nos guerreiros de Tite.

Mesmo com a retranca, a seleção brasileira conseguiu criar algumas finalizações ainda no primeiro tempo. Porém, sem nenhuma chance clara de gol.

ANÚNCIO

Na intenção de marcar um ponto, os brasileiros até tentaram fazer jogadas criativas, mas se atrapalharam nos próprios erros. Uma sequência de passes errados, falta atrás de falta, foram os lances que os torcedores mais puderam ver em Porto Alegre.

A seleção confusa e atrapalhada era tudo o que o Paraguai queria para poder criar a primeira chance de gol do jogo. O atacante Derlis González deu um susto quando surgiu atrás da defesa e chutou, mas Alisson impediu que o ponto fosse marcado. 

A tensão do gramado passou para as arquibancadas e no final da primeira etapa, enquanto era aplaudida, a seleção também era vaiada.

Brasil mais enérgico no 2º tempo

Para mudar o ritmo do jogo e pôr um fim na monotonia dos passes, o time brasileiro voltou mais decidido e ágil, em busca da vitória. 

Com o novo ritmo de jogo, surgiu um lance na área do Paraguai que deixou o juiz em dúvida se havia sido pênalti ou não. Firmino recebeu um passe preciso de Gabriel Jesus na entrada da área, mas foi interrompido por uma falta antes de conseguir finalizar.

No lance, o zagueiro Fabián Balbuena recebeu cartão vermelho, o que dificultou as coisas para o Paraguai, agora com um jogador a menos. A partir daí o Brasil começou a ser mais ofensivo. Tite optou por substituir o volante Allan e, em seu lugar, colocou o meia Willian, o que pressionou mais ainda os paraguaios, que estavam em desvantagem numérica. 

No final do segundo tempo, o Brasil assustou o Paraguai. Willian tabelou com Firmino e quase marcou o gol, batendo na trave de Gatito Fernández. Mas, a decisão precisava ir aos pênaltis.

Pênaltis

Nas penalidades o Brasil encontrou maior tranquilidade. Logo na primeira cobrança, Alisson impediu que Gustavo Gómez marcasse e abriu a série com vantagem para o Brasil. Na sequência, Firmino perdeu um gol e Derlis González perdeu mais um para o Paraguai.

Na série, Brasil 4 x 3 Paraguai.

Com a vitória nos pênaltis, a seleção quebra um ciclo de derrotas que vem sofrendo nas edições anteriores da Copa América. A “maldição paraguaia” começou nas quartas de final da edição de 2011. No confronto, a decisão também precisou ir aos pênaltis e os brasileiros foram eliminados.

Coincidentemente, na Copa América seguinte, em 2015, a seleção brasileira também chegou às quartas de final e, novamente, enfrentou o Paraguai. Da mesma forma, o duelo foi para as penalidades e mais uma vez os brasileiros não conseguiram passar de fase.

O desempenho da seleção

Na noite de ontem, as vaias não foram muitas. O torcedor compreendeu que o time brasileiro foi superior nos 90 minutos de jogo, faltando o apenas o gol. As condições do gramado também não favoreceram a seleção canarinha, que encontrou muita dificuldade em controlar a bola no gramado ruim da Arena do Grêmio


ANÚNCIO