Tite diz que Seleção Brasileira mereceu vaias durante estreia da Copa América 2019

Treinador diz que o time deve absorver as críticas e melhorar

Durante o jogo contra a Bolívia na Copa América 2019, que aconteceu nesta última sexta-feira (14/06), na estreia do campeonato, a seleção brasileira de futebol recebeu vaias de seus próprios torcedores durante a partida no Estádio do Morumbi. O treinador da equipe, Tite, reagiu à situação: “Quando começa a trocar passes para trás, a reação é a vaia”.

Foi um jogo de futebol morno por parte da seleção brasileira. Logo no primeiro tempo, a equipe verde e amarela encontrou dificuldades para ultrapassar a defesa boliviana e acabou por não marcar nenhum gol na primeira metade do jogo. Isto fez com que a torcida ficasse completamente indignada pelo desempenho do time. Foi assim que, ao fim do primeiro tempo, os brasileiros voltaram para o vestiário ao som de vaias da torcida.

Tite diz que Seleção Brasileira mereceu vaias durante estreia da Copa América 2019
Foto: Reprodução/Lucas Figueiredo

Entretanto, logo no segundo tempo, a seleção brasileira acordou com as vaias da torcida e adiantou o passo do jogo. Os jogadores estavam mais concentrados e desempenharam melhores seus papeis dentro de campo, o que resultou em um incrível 3 a 0 ao fim do segundo tempo. Dois gols de Philippe Coutinho e um gol de Everton.

Foi ao fim do jogo que Tite conversou com a imprensa e fez declarações incisivas. Segundo o próprio técnico da seleção, “Os clubes de massa em que trabalhei, e essa experiência eu trago, não espere do torcedor uma compreensão maior. Quando começa a trocar passes para trás, a reação é a vaia”, disse Tite.

ANÚNCIO

Também se demonstrou compreensivo diante das manifestações de indignação da torcida. Enquanto conversava com um repórter, Tite disse: “No futebol, tem as manifestações. Nós temos de compreender isso e não questionar. Nós não gostaríamos das vaias, mas temos de saber absorver”.

Na coletiva de imprensa após o jogo, o treinador brasileiro explicou o motivo por que acredita que o time tenha mudado tanto em sua atuação logo após o primeiro tempo, haja vista que o segundo tempo foi marcado por um ritmo muito mais elaborado do que a primeira metade do jogo.

“A gente veio com a liberdade de Daniel Alves na criação, bastante grande, e Richarlison encostado no Firmino. Era deixar o atacante pelo lado esquerdo, o David Neres, depois bem aberto para uma jogada de inversão e infiltração. Baixou a marcação da Bolívia. O lado esquerdo acompanhava o Dani até o fim e ficávamos com um jogador sem utilidade. No intervalo, a mexida foi de posicionamento, trouxemos mais um jogador avançado na criação. Aí a equipe começou a criar.”

O treinador continuou: “Quando não está produzindo, não espere que o torcedor tenha compreensão maior. Ele vai vaiar. Todos os clubes grandes têm isso. A gente fica trocando bola atrás, roda de lateral para zagueiro, goleiro, a primeira coisa que o cara vai fazer é “BUUUU”. Nós temos que compreender que, por vezes, a construção passa por troca de passes e chegue na frente. Se chegar lá, fazer drible, construir, ele vai aplaudir. Nós temos que construir. No intervalo eu coloquei, nível de concentração tem que estar alto.” Finalizou o treinador da seleção brasileira de futebol.

Considerando a vitória do Brasil contra a Bolívia, a seleção brasileira permaneceu em treinamento em São Paulo até o último sábado (15). Então, embarcaram para a capital baiana, Salvador. Lá, a equipe brasileira irá fazer seu segundo jogo na Copa América, que ocorrerá nesta terça-feira (18), contra a Venezuela.

ANÚNCIO