Coutinho minimiza vaias e admite nervosismo da Seleção Brasileira

Jogador admite que sentiu o peso da competição no primeiro jogo da seleção brasileira

Philippe Coutinho, que atua como meia e ponta-esquerda da seleção brasileira de futebol, assumiu, após a vitória da Bolívia sobre o Brasil na última sexta-feira (14) pela Copa América 2019, que o time sentiu o peso da competição e permitiu o nervosismo na partida. Para o meia, isto é apenas um nervosismo de começo de campeonato.

O primeiro jogo da Seleção Brasileira no campeonato tem dado o que falar. Logo na primeira metade da partida, o time brasileiro não apresentou uma performance que seja compatível com as expectativas dos torcedores. Por este motivo, ao fim do primeiro tempo, a torcida vaiou alto a seleção brasileira, que voltava em direção ao vestiário.

Coutinho

No segundo tempo do jogo, após uma intervenção de Tite, que pedia por “mais concentração”, foi que a seleção melhorou o desempenho na partida, marcando três gols contra a equipe Boliviana. Dois destes foram marcados por Philippe Coutinho e um por Everton.

ANÚNCIO

Segundo o meia da seleção brasileira de futebol, iniciar um campeonato desta proporção é um fato determinante para o nervosismo. Ele falou à imprensa: “Jogo de estreia é difícil. Nervos à flor da pele. Na hora que o time fez o gol, começou a jogar de forma correta e a vitória veio. No intervalo o professor Tite pediu para a gente ter mais concentração”.

Entretanto, as vaias foram um momento marcante do jogo do Brasil. Afinal, antes de conseguir abrir a vantagem por três gols contra a equipe Boliviana, os brasileiros receberam vaias da torcida no estádio do Morumbi. Para o meia, isto não compromete o desempenho da equipe. Coutinho comentou com a imprensa: “Faz parte ter vaia. A torcida quer que a gente ganhe. Mas dentro de campo a gente se blinda disso, porque é importante se concentrar no nosso objetivo e fazer um bom jogo”.

Coutinho vê o futuro com um olhar positivo. Segundo o próprio, a seleção brasileira ganha muita força para se tornar melhor na competição após o bom início. Disse o meia: “Era importante começar bem, ter vitória, dar um primeiro passo com pé direito. A gente sai feliz daqui e já pensando no próximo jogo. O importante agora nesse começo é se classificar”.

Aparentemente, a opinião de que o nervosismo afetou a seleção não é exclusivo de Coutinho. Segundo seu companheiro de equipe, Richarlison, atacante da equipe, o nervosismo foi peça central do desempenho da equipe brasileira no primeiro jogo da Copa América 2019: “No primeiro tempo, ficamos um pouco nervosos, mas no segundo tempo, consertamos e marcamos gols, estamos felizes pelo resultado”. Disse o atacante sobre estreia do time brasileiro no Morumbi.

Apesar das polêmicas, o time brasileiro saiu de campo sem a vitória. Os jogadores permaneceram em São Paulo na concentração até sábado (15). Os próximos oponentes que aguardam a seleção canarinho são os vizinhos Venezuelanos. O jogo acontecerá na capital baiana, Salvador, nesta terça-feira (18).

ANÚNCIO