Racismo presente na última rodada do Campeonato Italiano

Infelizmente, o racismo ainda é recorrente em pleno século XXI. Este mal está presente em várias áreas da sociedade, inclusive dentro do esporte. No último final de semana, jogadores da Inter de Milão e do AC Milan foram vítimas desta falsa doutrina.

Essa não é a primeira vez que isso acontece com jogadores de futebol. Em países europeus e até mesmo aqui no Brasil, muitos torcedores acabam cedendo para comentários com teor de racismo. Felizmente, a grande maioria não é de acordo com isso e a repreensão acaba sendo em massa.

racismo
Foto:(reprodução/internet)

Na continuação deste artigo, entenda melhor o que aconteceu na última rodada do Campeonato Italiano. Franck Kessié e Romelu Lukaku foram os protagonistas desta polêmica.

San Siro é palco de vitória e intrigas

No último sábado, a Inter de Milão entrou em campo contra a Udinese em partida válida pelo Campeonato Italiano. Felizmente, o desfecho resultou em uma vitória para os donos da casa por 1 gol a 0 dos adversários. O placar elevou a Inter à liderança do torneio.

Dentro do campo, o jogador Romero Lukaku não marcou, mas cumpriu bem o seu papel, apesar de ter atuado bem discretamente. Jogou o primeiro tempo completo e, logo no início do segundo, foi substituído. Seus minutos no gramado renderam elogios da crônica esportiva.

ANÚNCIO

Além da boa performance no sábado, seu tempo com a camisa da Inter de Milão já é louvável. Afinal, dentro de três jogos já são dois gols. Então, Luciano Passirani (comentarista), não guardou os elogios no canal Top Calcio 24. Passirani começou bem, dizendo:

“Lukaku é um dos jogadores mais fortes, eu gosto dele porque ele tem força. É o alter ego de (Duvan) Zapata, da Atalanta. Eles têm algo a mais que os outros, não há o que fazer. Eles marcam gols e levam seus times adiante.”

Mas, o grande problema veio na continuação. Contribuindo para o racismo no futebol italiano, ele fechou o comentário dizendo: “Se você for no um contra um, ele vai te matar. Para pará-lo, você tem que jogar 10 bananas para ele comer”.

Felizmente, a repercussão da fala não foi boa e Luciano Passirani colheu as consequências de sua atitude. Ainda no mesmo dia do ocorrido, o diretor do programa, Fabio Ravezzani, entrou ao vivo para um comunicado. O diretor informou que, por tempo indeterminado, Passirani estava afastado.

Racismo também no Milan

Parece que os dois maiores rivais da Itália vivem momentos parecidos quando o assunto é racismo. Um dia depois, ainda na mesma rodada, o jogador Franck Kessié também foi alvo de atitudes deste tipo. No entanto, dessa vez, as manifestações de racismo vieram da torcida.

O jogo que estava acontecendo era entre o Milan e o Hellas Verona, no Marc’Antonio Bentegodi. A vitória, também por 1 a 0, foi da equipe de Milão. De pênalti, Piatek marcou para os rossoneros e colocou a equipe na sexta colocação da tabela, apenas 3 atrás da Inter.

Para manchar mais esta partida, a torcida do Verona não se portou muito bem dentro estádio. De acordo com várias testemunhas como os próprios jornais do país, quando Kessié pegava na bola, os torcedores do time adversário vaiavam e faziam sons de macaco.

Esta cena aconteceu recentemente, no estádio do Cagliari. Quando Lukaku e Moise Kean conseguiam conduzir um pouco do jogo, a torcida fazia as mesmas referências à cor de suas peles.

ANÚNCIO