Mulheres no esporte – dificuldades e realidade atual

As mulheres enfrentam grandes dificuldades e preconceitos em diversas áreas da vida. É um problema que está enraizado na cultura da nossa sociedade atual. No esporte, não seria diferente, pois existem diversos complicadores para que elas consigam ser inseridas com valorização.

No entanto, na nova era da modernização, esses obstáculos estão sendo enfrentados e quebrados dia após dia. No esporte, não seria diferente, pois as mulheres já estão conseguindo conquistar os seus espaços, dia após dia.

Você provavelmente já deve ter ouvido falar que esporte não é coisa de mulher, ou que não devem chamar as meninas para as brincadeiras de luta ou para o futebol de domingo à tarde. Esta ideia surgiu lá na Grécia Antiga, com a explicação de que as mulheres ficariam masculinizadas com exercícios, além de não terem condições físicas para a prática de esportes.

esporte
Foto: (reprodução/internet)

Visibilidade mundial

Em 2019, a Copa do Mundo Feminina foi transmitida na TV aberta pela primeira vez, o que abre um horizonte promissor quanto à participação das mulheres no esporte. Isso é fundamental para que as novas gerações tenham como um posicionamento fixo e permanente a ideia de igualdade.

Inclusive, algumas meninas sofrem nas escolas quando querem fazer algumas brincadeiras ou participar de uma partida de futebol, pois os demais alegam que é um esporte de meninos. A mudança no comportamento vai passar por essa geração. 

ANÚNCIO

Mulheres nas olimpíadas

Você sabia que as mulheres só passaram a ter direito de participar de todas as modalidades olímpicas em 2012? Pois é! Quando falamos das mudanças, algumas pessoas acham que é algo distante dos nossos tempos atuais. No entanto, esta realidade está mais próxima do que parece. É algo recente e que está em constante evolução.

Gênero ainda é motivo de preconceito

Para dar um exemplo de preconceito no mundo dos esportes na modalidade feminina, não é preciso ir muito longe. Pelo contrário, temos como um perfeito exemplo a jogadora brasileira de futebol feminino, a Marta.

Ela já ganhou o prêmio de melhor jogadora do mundo por 6 vezes. Junto a esses prêmios, tem também o de melhor artilheira da história de todas as copas, que também inclui a modalidade masculina.

Muitas desigualdades ainda são encontradas 

Ela alega que existem diferenças nos salários, nos patrocínios, nas publicidades e em tudo que as mulheres do futebol fazem! Inclusive, no reconhecimento dos prêmios. Quando ela foi considerada a melhor artilheira de copas, essa notícia não foi muito propagada. 

Existe, portanto, a necessidade de igualdade entre homens e mulheres no esporte. Atualmente, é obrigatório que os clubes grandes tenham times femininos. Pelo fato de termos referências femininas. 

De quem é a culpa?

dentro de casa, quando os esportes não são apresentados a meninos e meninas de forma igual, essa diferença começa a acontecer. Geralmente, as famílias dizem que só existe o ballet e o teatro para a garota escolher na lista de atividades extras na escola. 

Além disso, a falta de incentivo nas escolas contribui significativamente para a permanência desta realidade. Todos esses são fatores que devem ser apontados quando se constata que o esporte no Brasil não tem o mesmo acesso por meninos e meninas.

O que podemos fazer para mudar essa realidade?

Para que possamos enfrentar todos esses problemas e dificuldades, é necessário observar onde está a raiz do problema. Se é cultural, precisamos cuidar dos meninos desde a infância e mostrar que os esportes são de meninos e de meninas. Fazer com que eles enxerguem o quão boas as garotas podem ser para executar essas atividades.

Já nas escolas, precisamos inserir a cultura da educação física como matéria obrigatória para ambos os sexos e valorizar os talentos de garotas para os esportes, não somente no teatro, artes ou ballet.

É com passinhos de formiga que podemos mudar a realidade que nos aborrece, para que meninos e meninas possam sonhar juntos, sem medo do que os outros possam pensar ou com vergonha dos seus talentos.

Foco e perfeccionismo feminino

As garotas têm outras qualidades que ajudam muito nas qualificações dos esportes, entre elas estão o perfeccionismo e o foco. Os garotos tem, mas não tanto quanto as garotas. A dedicação feminina é bem diferenciada, com mais foco e desempenho nas técnicas, aperfeiçoando assim, a prática também.

Para a nossa conclusão, é nítido que esporte é coisa de garota sim. Para que essa cultura seja implantada entre nós, é necessário que diversos paradigmas sejam quebrados e oportunidades sejam dadas para todas, da mesma forma que são dadas para os meninos.

Se você é uma garota que sonha em seguir essa carreira acredite em você! Tudo é possível com esforço, foco e objetivo. O mundo é teu… VOE!

 

ANÚNCIO